Como desenvolver a Inteligência Emocional numa sessão de Coaching

Coaching e Inteligência Emocional. Desenvolvendo a Inteligência Emocional para adquirir novas competências comportamentais: autoconhecimento, autocontrole, empatia e habilidade em relacionamentos interpessoais.

como desenvolver a inteligência emocional numa sessão de coaching

Inteligência Emocional pode ser definida como a nossa capacidade para interpretar e manejar adequadamente tanto nossos sentimentos e emoções como as emoções das pessoas com as quais interagimos. Há diversos estudos realizados sobre relacionamento interpessoal que sugerem que nossa Inteligência Racional determina em torno de 33% de nosso sucesso em lidar com outras pessoas, enquanto que nossa Inteligência Emocional responde por 66% dele.

Lidar com nossos valores emocionais é determinante para o sucesso pessoal ou profissional: No atendimento de coaching procuramos desenvolver as competências comportamentais como a capacidade de motivar-se e perseverar a despeito das dificuldades e frustrações, administrar nossos impulsos e sermos capazes de regular o humor e mostrar empatia são fatores essenciais para alcançar o sucesso e a felicidade em todos os âmbitos da vida. É muito importante que um personal coach conheça os 5 componentes da inteligência emocional para que possa desenvolver as competências de seus clientes.

Os componentes da Inteligência Emocional

"Perceber o que as pessoas sentem sem que elas o digam constitui a essência da empatia." (Daniel Goleman)

O magnífico universo das inteligências múltiplas foi proposto inicialmente pelo pesquisador Howard Gardner, mas quem popularizou o assunto foi o escritor Daniel Goleman, através de seu livro "Inteligência Emocional", publicado em 1995. De acordo com Goleman, os principais componentes da Inteligência Emocional são:

  • consciência de si mesmo
  • autoregulação ou autocontrole emocional
  • automotivação
  • empatia
  • habilidades sociais

Um resumo sobre cada um dos componentes da inteligência emocional propostos por Daniel Goleman.

Autoconhecimento emocional (consciência de si mesmo)

Diz respeito à capacidade de conhecer nossas próprias emoções e a forma como nos afetam. É muito importante conhecer o modo através do qual nosso estado de ânimo influi em nosso comportamento, quais são nossas virtudes e nossos pontos fracos. A grande maioria das pessoas não faz idéia de quão pouco sabem sobre si mesmas, e como esse desconhecimento prejudica sua vida e suas relações.

Autocontrole emocional (ou autoregulação)

O autocontrole permite que não nos deixemos levar pelos sentimentos do momento. É saber reconhecer o que é passageiro em uma crise e o que perdura. Se agíssemos apenas por impulso, movidos pelo calor do momento estaríamos continuamente atuando de forma irresponsável e tomando atitudes das quais rapidamente nos arrependeríamos.

Automotivação

Dirigir as emoções até um objetivo nos permite manter a motivação e fixar nossa atenção nas metas e não nos obstáculos. Para isso é necessária certa dose de otimismo e iniciativa, de forma que sejamos empreendedores e atuemos de forma positiva diante dos contratempos.

Compreensão das emoções alheias (empatia)

As relações sociais se baseiam muitas vezes em saber interpretar os sinais que as outras pessoas emitem de forma inconsciente e que normalmente não são verbais. Reconhecer as emoções alheias, aquilo que os demais sentem e que pode ser percebido pela expressão do rosto, por um gesto, por uma resposta atravessada, pode nos ajudar a estabelecer laços mais reais e duradouros com as pessoas de nosso meio. Empatia é a capacidade de colocar-se no ponto de vista alheio, poder enxergar um acontecimento como se estivéssemos no lugar da pessoa. Observe isso: sempre temos um carinho especial pelas pessoas que são capazes de nos compreender.

Relações interpessoais (habilidades sociais)

Qualquer um pode se dar conta de que um bom relacionamento com os demais é uma das coisas mais importantes para nossas vidas e nosso trabalho; networking é a palavra da vez no mundo profissional. E não se trata de saber lidar apenas com as pessoas que nos são simpáticas, nossos amigos, nossa família, mas sobretudo saber lidar com êxito com aquelas pessoas com as quais estamos em conflito ou com a qual temos sérias diferenças; isso inclui a arte de saber lidar com pessoas que ocupam posições chaves em nossa empresa, com clientes, etc.

Existe uma relação muito íntima entre Inteligência Emocional e desenvolvimento de competências comportamentais: o aprendizado eficiente de novos hábitos somente ocorre quando há o apoio consistente de nosso emocional: precisamos desejar intensamente a mudança, sentir que a queremos. O Coaching dispõe de ferramentas que estimulam o autoconhecimento e permitem estabelecer novos paradigmas de relação com nossos valores, novas respostas emocionais.

O personal coach deve aprender a trabalhar com sua inteligência emocional e também com a inteligência emocional de seu cliente para que esse possa colocar em atividade as competências que estão em seu interior e muitas vezes esperando para serem desenvolvidas.

Para se aprofundar nesse assunto sugiro a leitura do artigo O que é Inteligência Emocional onde encontrará dezenas de vídeos que exploram esse assunto.

Se você quer saber mais sobre Coaching e Inteligência Emocional, entre em contato conosco. Suas dúvidas, comentários e sugestões são sempre bem vindos.

Marcelo Leandro de Campos tem experiência de 15 anos como palestrante de Autoconhecimento e treinamentos motivacionais e comportamentais; é professor de Educação Financeira na EGDS e Master Coach. Para contato e maiores informações visite minha minha página pessoal.

Esoterikha.com - Mensagens, Cursos e Treinamentos

©2003-2017 - Khaueh Produções Artísticas | Esoterikha.com - Todos os direitos reservados

Fale Conosco - SAC | Política de Privacidade