Como desenvolver a competência da Generosidade - A Teoria de Adam Grant

Conheça a história de exito do professor Adam Grant que os 31 anos se tornou o professor titular mais jovem da Universidade de Wharton, sua visão sobre a competencia da generosidade e como ela pode ajudar a desenvolver sua carreira.

Como desenvolver a competência da Generosidade - A Teoria de Adam Grant

Quando falamos sobre modelagem comportamental é comum que as pessoas procurem o Coaching em busca de desenvolver competências que envolvam a melhoria de sua produtividade, como disciplina e concentração. É comum que muitos aspectos importantes das relações interpessoais e dos valores pessoais sejam relegados a segundo plano. Hoje gostaria de compartilhar com os leitores um sumário das idéias do professor Adam Grant: Desde o seu surgimento como uma disciplina acadêmica, a psicologia organizacional estuda a maneira como as empresas devem operar para que os trabalhadores gostem de seu trabalho, queiram realizá-lo da melhor forma e ser o mais eficientes possível.

A maioria das teorias giram em torno da idéia de que a melhor maneira de motivar os trabalhadores é a de incentivar o trabalho: seja através de recursos financeiros (tais como remuneração variável ou bônus por produtividade), o desenvolvimento de uma carreira profissional atraente e, talvez em menor grau, a criação de um bom ambiente de trabalho e da implementação de benefícios sociais e benefícios em espécie (creches, ginásios e restaurantes disponíveis para o empregado). Mas para o professor da Escola de Negócios Wharton, Adam Grant, todas falham ao esquecer aquela que é, na sua opinião, a maior fonte de motivação para os trabalhadores: a generosidade.

Grant é conhecido no mundo da psicologia organizacional, entre outras coisas, porque é o autor mais prolífico do mundo em sua especialidade. Sua história é uma história de êxito: com 31 anos se tornou o professor titular mais jovem de Wharton, e o melhor avaliado por seus estudantes. Sua fama se extendeu pelo mundo empresarial, e é popular entre os executivos por atender qualquer solicitação relacionada a seu campo de trabalho. Para Grant seu êxito não tem nenhuma relação com suas habilidades acadêmicas, mas está diretamente relacionado ao fato de a generosidade ser o pilar sobre a qual sustenta todo seu trabalho. Ele desenvolve essa idéia em seu livro Give and Take (dar e receber).

Durante gerações, as teorias empresariais têm se preocupado em explicar em que consistem e como operam os condicionantes individuais do êxito: a paixão, o trabalho duro, o talento e a sorte. A cultura do esforço e a meritocracia se impuseram como fatores chave do triunfo, não só nos negócios, mas na vida.

A teoria de Grant parte de uma percepção diferente. Em sua opinião o êxito, hoje em dia, só pode ser alcançado de forma coletiva, e depende principalmente de como interagimos com as pessoas que nos rodeiam. Grant acredita que há três tipos de pessoas em relação à forma como interagem profissionalmente: os takers (os que tomam), os matchers (que dão em função do que tomam) e os givers (que dão).

Os takers se esforçam por tirar o máximo proveito do trabalho dos demais sem oferecer nada em troca.

Os matchers são aqueles que são generosos com quem é generoso com eles. Negociam seu retorno de maneira uniforme; sua forma de trabalhar constitui a chamada "estratégia ganha-ganha", que oferece vantagens para os dois lados.

Os givers são o perfil mais raro: são pessoas que ajudam os demais sem esperar nada em troca.

Para Grant, estes perfis têm um impacto decisivo sobre o sucesso pessoal. Ao contrário do que pode parecer à primeira vista, e apesar do risco de serem exploradas pelos demais, normalmente são as pessoas generosas que atingem as posições mais altas. Sua trajetória profissional costuma ser mais lenta, mas é muito mais sólida que a dos takers, que cedo ou tarde se tornam vítimas de seu próprio egoísmo.

Grant afirma que, ao contrário da crença comum, de que o poder corrompe, ele apenas serve como um amplificador das virtudes e defeitos de cada pessoa. Nesse sentido o poder somente corrompe que já possui uma moral fraca. Ao contrário, ele reforça os bons valores de pessoas que já possuem fortes convicções morais. Seguindo essa idéia um lider egoista será ainda mais egoista à medida que tenha mais poder, mas um líder generoso usará seu poder para ser ainda mais desprendido. Por conta disso, assegura Grant, os grandes líderes que levam suas empresas ao topo são normalmente givers e nunca takers. Seu livro ilustra sua teoria com uma série de exemplos reais tiradas da trajetória de vida de importantes executivos norte-americanos.

Generosidade x Produtividade

Adam Grant

Adam Grant foi recentemente capa da revista do New York Times; a reportagem destaca sua rotina diária de trabalho: ele diariamente recebe em torno de 200 e-mails (responde a todos) e inúmeros alunos que o procuram pessoalmente em busca de conselhos, indicações ou recomendações. O professor é excepcionalmente acessível e esforçado em oferecer assessoria, mobilizar sua rede de contatos para ajudar o aluno ou redigir cartas de recomendação. A despeito do enorme tempo que suas atividades generosas lhe ocupam ele consegue preparar aulas, dar conferências e ser um escritor especialmente prolífico. Como é possível?

Grant acredita que a generosidade não é inimiga da eficiência, bem como não é algo secundário a seu trabalho; para ele é o fator motivacional essencial, que dá impulso à criatividade e incrementa a produtividade dos trabalhadores. Para conhecer melhor o trabalho do Dr. Adam Grant visite seus websites: Adam Grant - The Wharton School, University of Pennsylvania e Give and Take, a revolutionary approach to sucess.

Como disse certa vez o diretor de cinema Jodorowsky: "o que você dá te será dado; o que você não dá lhe será tirado". Se você quiser saber mais sobre modelagem ou treinamento comportamental com técnicas de Coaching entre em contato conosco.

O que é Modelagem de Comportamento? Coaching e PNLO que é Modelagem do Comportamento? Coaching e PNL

Apresentamos algumas definições sobre o que é modelagem do comportamento, técnica amplamente utilizada em treinamentos de PNL e coaching com objetivo de auxiliar clientes em seu processo de desenvolvimento pessoal e profissional.

A Estratégia Disney - Exercício de Modelagem ComportamentalA Estratégia Disney - Exercício de Modelagem Comportamental

Aprenda como fazer a estratégia Disney passo a passo, exercício de PNL criado por Robert Dilts, amplamente utilizado em sessões de coaching e na modelagem comportamental.

Marcelo Leandro de Campos tem experiência de 15 anos como palestrante de Autoconhecimento e treinamentos motivacionais e comportamentais; é professor de Educação Financeira na EGDS e Master Coach. Para contato e maiores informações visite minha minha página pessoal.

Esoterikha.com - Mensagens, Cursos e Treinamentos

©2003-2017 - Khaueh Produções Artísticas | Esoterikha.com - Todos os direitos reservados

Fale Conosco - SAC | Política de Privacidade